Diário do Wisky: Alimentação natural e caseira para cães

an7

Olá, CÃObadinha!

Aqui é o Wisky de novo! Hoje eu vou falar de um assunto muito bacana, que me deixa com água na boca só de lembrar: comida caseira para cães! <3

Quando falamos em comida caseira, ou alimentação natural para cães, estamos nos referindo aos alimentos frescos que nós, os cães, podemos consumir normalmente, assim como vocês humanos. Antes de eu contar como tem sido a minha experiência, preciso esclarecer duas coisinhas para vocês:

  1. A minha mamãe NÃO é veterinária, então, ela também está aprendendo uma série de coisas nesse processo, e nós só estamos seguindo a AN porque eu sou cãozinho novo e saudável. Logo, não há contra indicações. É muito importante que vocês também pesquisem sobre esse assunto, e conversem com um veterinário de confiança, antes de trocarem a alimentação do pet de vocês, ok?
  2. Preparar comida caseira para seu animalzinho NÃO é a mesma coisa que dar restos de comida humana, como era bem comum há alguns anos atrás. Apesar de nós podermos comer boa parte dos alimentos que vocês comem, o preparo da nossa comida é bem diferente. Não podemos consumir temperos comuns, que estão em quase tudo que vocês preparam, como a cebola, por exemplo.

Agora que já esclarecemos isso, bora contar como tem sido minha alimentação? 😀

an4
Meu ranguinho pronto pra servir! <3

COMO TUDO COMEÇOU

Eu comi ração desde bebezinho. Quando cheguei na casa dos meus pais, eu comia a ração ProPlan para raças pequenas, mas depois comecei a ficar mais exigente, e a mamãe, para não me deixar com fome, me dava aqueles sachês de carne com molho da Pedigree. Para sermos bem honestos, os hábitos alimentares de toda família não era nada legais. Todos nós consumíamos muita comida industrializada por conta da rotina maluca.

Nossa vida em São Paulo era muito corrida, como a de praticamente todo mundo que mora lá. Meus pais trabalhavam fora, passavam horas no trânsito, e o pouco tempo que sobrava em casa era dedicado para mim e para os outros afazeres do lar (lavar, passar, limpar) pois não tínhamos nenhuma auxiliar doméstica. Meus pais acabavam comendo coisas rápidas, sem muito preparo, e eu ficava com a minha raçãozinha.

Confesso que não curtia muito não; Às vezes fazia cara feia pro potinho, e enrolava hooooras pra comer. Mamãe ficava chateada, mas a recomendação que ela escutava era que a ração concentrava todos os nutrientes que eu precisava, então, ela insistia. Quando decidimos vir morar em Berlin, eu tive que fazer uma dieta para poder viajar na cabine do avião com meus pais. Mais detalhes nesse post aqui.

Nessa época, mamãe trocou a minha ração pela ligth, mas eu rejeitei de cara. Então ela começou a me dar alguns legumes cozidos e frango, de vez em quando. Ela começou a perceber que eu adorava essa comidinha! Ficava feliz, esperando ansiosamente pro meu rango ficar pronto! MAS quando chegamos aqui em Berlin, voltei para ração, e o papai comprou a Royal Canin para raças pequenas, que eu aceitei bem.

Num certo dia, mamãe sentiu vontade de cozinhar para mim de novo (coisa de mãe <3) e a minha reação foi a mesma: alegria, apetite e expectativa pela comida fresquinha. Foi aí que ela começou a pesquisar sobre alimentação natural para pets, e encontrou um mundo de informações e de outras pessoas que seguem esse mesmo esquema com seus animais. De lá pra cá, tenho me alimentado somente com comida natural.

an2
Me dá logo esse rango, Mãe!

 

COMO SABER MAIS SOBRE ALIMENTAÇÃO NATURAL PARA PETS?

Como disse lá no comecinho, nós ainda estamos aprendendo. Mas pra quem ficou interessado, nós super recomendamos o site Cachorro Verde! Ele foi criado pela Dra. Sylvia Angélico, que trabalha atendendo consultas de nutrição caseira e ministrando cursos sobre as nossas dietas em diversas capitais do paísNele você encontra uma série de informações super esclarecedoras, inclusive receitas, listas de alimentos que podemos consumir, e também o que não podemos.

Minha mamãe já leu esse site de cabo a rabo, e continua pesquisando, cruzando informações com outras fontes. Há três tipos diferentes de dieta baseada em alimentação natural para cães, por exemplo: crua e sem ossos, crua com osso e a cozida. Há vantagens e desvantagens em todas elas, mas a que estamos seguindo é a cozida.

Gráfico disponível no site Cachorro Verde
Proporção de nutrientes disponível no site Cachorro Verde

 

COMO É A MINHA ROTINA DE AN

Tenho que admitir novamente que dá trabalho preparar tudo sim. Aqui em Berlin, minha mãe ainda não trabalha, por isso ela tem bastante tempo para se dedicar a minha (a nossa né) alimentação. Além do mais, tem um mercadinho na rua de casa, cheio de legumes e carnes fresquinhas, o que facilita muito.

Então hoje percebemos que esse tipo de dieta teria sido bem mais difícil de encarar lá no Brasil, mas mesmo se um dia voltarmos para lá, ou mesmo se ela começar a trabalhar aqui na Alemanha, vamos mantê-la.

Segunda-feira é dia de preparar minhas marmitinhas! Mamãe faz três porções diárias e que duram uma semana certinho. Ela compra tudo fresco, monta as porções de acordo com o que o Cachorro Verde recomenda. Devemos seguir uma proporção certinha de proteínas, carboidratos e vegetais, na quantidade correta para o meu porte físico!

Depois que tudo está montadinho, ela congela. Toda noite, ela retira as três porções do dia seguinte e deixa descongelando na geladeira. Assim, no outro dia, ela cozinha tudo na hora.

Tirando esse dia da montagem da marmita, no dia a dia, não é trabalhoso. Com as porções pequenas, em 15 minutinhos tudo fica cozido no ponto certo pra mim. Daí é só esperar esfriar e mandar bala!

an1
Algumas marmitinhas da semana! :)

Nessas marmitinhas, mamãe tenta intercalar e variar os tipos de carne, legumes e carboidratos. Aqui em Berlin temos uma desvantagem: a gente encontra menos opções de carne, e não se identifica na caixinha qual parte do animal estamos comendo rs. Mas estamos nos esforçando, procurando em outros mercados, para que eu tenha uma AN exemplar!

O QUE MUDOU DE LÁ PRA CÁ

  • Eu estou demonstrando muito mais interesse pela comida! Sempre fui um cara guloso, mas agora, fico de butuca quando a mamãe está fazendo as coisas para mim, nunca recuso ou enrolo para comer.
  • Eu fico leve depois da refeição! Sempre que como, fico feliz da vida e vou direto brincar. Quando eu comia ração, isso não acontecia. Eu sentia preguiça, acho que era o peso na barriga. Tipo quando vocês comem feijoada rs.
  • Eu bebo menos água! Isso porque os alimentos naturais já possuem água, o que é ótimo. Quando eu comia ração, eu bebia mais de dois potes de água por dia. Isso acontece porque ela é seca, e dá mais sede mesmo.
  • Meu cocô ficou mais sequinho e menos fedido. Desculpem falar de cocô, mas este é um sinal que indica que meu organismo está processando melhor os nutrientes, e jogando pra fora o que não presta. Ou seja… estou retendo muitos nutrientes bons! Quando eu comia ração, meu cocô era maior, fedia horrores e era bem nojento. Écat.
an3
Preparação da minha AN!

 

O QUE AINDA FALTA PARA UMA AN PERFEITA

  • Incluir a farinha de casca de ovo, que é um reforço para o cálcio, que tanto precisamos. Mamãe não consome muito ovo, mas vamos começar a trazer mais isso para nossa rotina agora.
  • Incluir vísceras, como é recomendado. Nos mercados de bairro, não encontramos esse tipo de carne, só as de consumo mais comum. Precisamos achar um açougue, ou algo assim. O fato é que não se come muita carne mesmo por aqui.
  • Incluir peixes, sal iodado e mais frutas.

an8

Espero que tenham gostado do meu post, AUmiguinhos!

Acompanhem meu dia-a-dia de Alimentação Natural lá no meu Instagram!

https://www.instagram.com/wisky_thedog/

Lambeijinhos

You may also like

4 Comentários

  1. Adorei seu blog. Estava em busca de mais informações sobre o pós operatório de castração. Minha shihtzu chamada Princesa foi castrada na última quarta feira. E ela está super dengosa.
    Aqui achei muitas informações bacanas. Vou acompanhar sempre.

  2. Meu filhote lindo, Lóki um Pit Bull, castrou na quarta feira. Queria fazer uma caminhada com ele hoje (sábado) então vim procurar informações na Internet. Encontrei aqui no Blogger o que precisava.”Decidimos sair para passear :), quando estávamos quase saindo começou a chover:(. Então iremos amanhã.” Gostei muito do Blog, principalmente na questão da AN. Voltaremos para conferir as novidades.

    1. Oi, Josiele! Fico feliz que o meu post e os comentários da galera tenham lhe ajudado! De uma maneira geral, a recuperação dos pets é bem tranquila, e os passeios, quando não geram nenhum tipo de estresse ao animal, ajudam a deixá-lo mais tranquilo. Nesse caso, dar um voltinha até distrai, né? 🙂 volte sempre ao Blog, será sempre bem vinda! Beijos pra vc e pro Lóki!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *