Cuidados, rotina e comportamento: TUDO que você precisa saber antes de ter um cachorro

bigstock-girl-with-her-dog-resting-outd-50047244

[SENTA QUE LÁ VEM TEXTÃO]

Oi, oi e oi! 🙂

As pessoas sempre me fazem bastante perguntas sobre cães, e eu confesso que isso me deixa muito feliz! Não só pelo fato de eu ter a chance de falar sobre algo que gosto muito, mas também pela confiança que as pessoas depositam em meus conselhos e orientações.

E foi pensando nisso, que eu quis fazer esse post inicial, mais voltado pra quem ainda não tem um cachorrinho, mas que tem muita vontade de ter. Eu listei alguns tópicos básicos que devem ser considerados antes de você tomar a sua decisão.

É muuuita coisa, mas é importante que você se conscientize sobre isso tudo!

BORA?

1.VOCÊ DEVE SER RESPONSÁVEL POR ELE: é importante ter a plena consciência sobre o tempo de vida de um animal, que é em média de 15 anos – quase nada perto do que eles mereciam viver <3 – e sobre o vínculo emocional que ele estabelecerá com você. Uma pesquisa comprovou que existe uma “similaridade entre o ‘efeito de base segura’ encontrado na relação dono-cachorro e na criança-pai”. Ou seja: se não é pra tratar como filho, melhor não ter.

2. VOCÊ DEVE AVALIAR TODA SUA VIDA: muita coisa vai mudar com a chegada dele. Provavelmente sua rotina sofrerá algumas adaptações para suprir as necessidades do animal, além de alguns momentos do dia que você deverá dedicar somente a ele. Manter um animal também impacta no orçamento da casa, pois acrescenta custos básicos, tais como: alimentação de qualidade, idas ao petshop (semanais ou mensais), consultas ao veterinário, vacinas anuais, conforto, higiene e outros mimos que talvez você queira fazer.

3. SEU ESTILO DE VIDA x TEMPERAMENTO DO CÃO: além das diferenças físicas, como porte, peso e pelagem, cada raça possui suas próprias características comportamentais. É importante que você pesquise bastante e tente associar essas informações sobre cada raça com seu estilo de vida. No caso dos viralatinhas – os melhores! <3 – você pode se informar ou deduzir de onde vem essa misturinha, para tentar traçar um possível padrão de comportamento. Você também deve tentar saber qual o passado daquele cachorrinho, se ele sofreu algum trauma que requer atenção, ou até mesmo qual o temperamento dos pais, pois a genética influencia bastante nesse caso.

4. APRENDA A SE COMUNICAR COM ELE: e não fique esperando o contrário. Cachorros são muito inteligentes, mas além de precisarem de condicionamento e interpretação, é muuuito importante que você tente enxergar o mundo através dos olhos do seu cão. Muita gente se enfurece quando o cachorro late muito, ou apronta alguma coisa, por exemplo, e prefere esbravejar ao invés de se esforçar para entender o que está por trás dessa atitude. Cães falam com os olhos e demonstram seus sentimentos em pequenos gestos, basta exercer sua sensibilidade para captar tudo isso e estabelecer um vínculo de afeto e confiança.

5. SEJA O ALFA DA CASA: Instintivamente, cachorros enxergam a família como se fosse uma matilha – sim, eles acham que nós somos cachorrinhos também! rs –  que precisa de uma liderança confiável. Eles analisam já nos primeiros dias em casa, quem é o responsável pela comida e pela disciplina, por exemplo. Mesmo que estes cuidados sejam divididos com as crianças, os cães tem esse radarzinho ligado, dizendo “Cara, esse é quem manda no pedaço. É esse quem você deve seguir”.  Não sinta/demonstre pena de dar bronca no cachorro. Se você o trata bem o tempo inteiro, e o repreende exclusivamente quando ele faz coisas erradas, ele não terá medo ou ficará chateado com você. Ele sentirá respeito e confiança, sentimentos que trazem paz e segurança para a vida dele.

6. VOCÊ DEVE EDUCÁ-LO E ENSINÁ-LO: e não esperar que ele já chegue sabendo de tudo. Todos nós demoramos um bom tempo para aprender tantas coisas na vida… Porque esperar que o cachorro saque tudo de um dia pro outro? Tenha muita paciência, firmeza e disciplina na hora de ensiná-lo. Eu escrevi um post falando sobre como ensinar o filhote a fazer xixi e cocô no lugar certo, que é o que mais dá dor cabeça pros donos.

7. NÃO USE O NOME DELE PARA DAR BRONCAS: é algo aparentemente banal, mas que erramos facilmente no dia a dia. E bem simples de entender porque. O nome do cãozinho é uma coisa boa! É uma palavra que nós mencionamos com carinho, e que na maioria das vezes, está associado a comida, petiscos, passeios e etc. Por isso, quando o animal está fazendo alguma malcriação, e o dono fica “Para, BOB! BOB, para! BOOOOB para com isso” pro cachorro, é a mesma coisa que um “É isso aí, BOB! Manda ver, Bob! Tá fazendo certinho, BOB!”. Então se você quer dar uma bronca nele, não diga seu nome, mesmo que em um tom de voz mais firme. Escolha um termo único, forte e fácil de entender. O bom e velho “NÃO!” é quase sempre a melhor saída.

8. ELE PRECISA DE ROTINA E REGRAS BEM DEFINIDAS: assim como todos nós. Ele automaticamente associará bem os horários de dormir e de comer, ao observar a rotina da casa. Mas a regras precisam ser claras desde sempre, e sem exceções. Se você não quer que o cachorro se acostume a dormir na sua cama, não permita que ele durma de vez em quando. Ele não entende esse de vez em quando. Coisa boa ele vai querer sempre! Então é menos frustrante que ele nunca saiba o que é isso, do que ser podado sem entender muito bem o porque.

9. BOA ALIMENTAÇÃO E PASSEIOS DIÁRIOS: isso é o básico do básico, mas vale a pena escrever. Claro que dentro de suas condições financeiras, procure oferecer a melhor alimentação possível para o seu cão. E passeios diários são indispensáveis, por ajudam a tirar o estresse do cão, e pode ser usado como recompensa por bom comportamento. Outro lado bom dos passeios diários é que eles podem fazer o número 1 e o número 2 na rua, sem sujar a casa! Com o tempo eles aprendem a segurar e regular as necessidades e deixam pra hora do passeio, que é muito mais legal pra eles! Ah, não se esqueça de catar o cocô depois, viu?

10. TENHA UM VET DE CONFIANÇA: Ter um veterinário bacana a sua disposição é algo que não tem preço. Vez ou outra você vai ter alguma dúvida, ou seu cachorro vai aprontar alguma coisa, e você vai precisar recorrer a alguém que ajude vocês. E busque recomendações com seus amigos e estabeleça uma boa relação com o profissional.

11. PENSA NA CASTRAÇÃO: Não tenho muito o que falar sobre esse tópico. A castração é benéfica para a saúde dos cães por N motivos, mas muitas pessoas pensam que seria bacana colocar o animal para cruzar e ter filhotinhos. Se você está disposto a lidar com isso… Sei lá, ok. Mas pode ser que seu cachorro cruze e tenha filhotinhos indesejados. Vai sobrar pra você. É tipo filho adolescente, saca? Melhor para de caretice, encarar os fatos e ajudá-lo a evitar esse ‘transtorno’.

12. CUIDADOS COM A HIGIENE: Como eu falei la em cima, cães tem particularidades. Alguns precisam de mais atenção a limpeza dos ouvidos, outros são alérgicos a alguns produtos e outros, como no caso dos bulldogues e sharpeys, até precisam passar pomadinha nas dobrinhas, como os bebês. Esse é o tipo de cuidado que não deve ser negligenciado nunca. Fique sempre atento.

13. ELE PRECISA APRENDER A SE SOCIALIZAR: Com outras pessoas e com outros animais também. Um cachorro que é criado numa redoma, isolado do mundo lá no fundo do quintal, pode desenvolver agressividade e não tem a menor culpa nisso. Desde filhotinhos, ou desde os primeiros dias deles em casa, eles precisam entender que recebem visitas, que existem outros animais no mundo e que tudo isso é muito legal. Se seus amigos e parentes tem cachorros, marquem programas legais para fazer com os pets, leve-o para parques com áreas específicas para deixar o cão solto, deixe-o andar sem coleira em locais seguros e… Deixe que ele seja um cão.

Eu falei lá no comecinho que você deve tratá-lo como um filho, mas isso no sentido de responsabilidade e cuidado. Cachorro não é gente. E isso não é uma ofensa contra eles. Ao contrário, é a melhor coisa! A melhor coisa de um cachorro é que ele é muito melhor do que qualquer humano que você pode conhecer.

Por mais que a gente tenha cuidado de filho, seu cachorro ainda é um cachorro. Um ser vivo com instintos, heranças genéticas, necessidades que ele tem e você não. Sei que você preserva a segurança dele mas… deixa ele correr igual maluco de vez em quando, sem medo de ser feliz. Deixa ele brincar na lama, fazer bagunça e comer capim.

Deixe que seu cachorro seja a melhor versão dele mesmo e ganhe o título de melhor DONO/PAI/MÃE do mundo!

É isso! Espero ter ajudado vocês!

Tô sempre a disposição para responder as dúvidas nos comentários!

Beijos

 

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *