Como receber o seu filhote em casa de forma especial

playful-labrador-retriever-puppy-wallpaper-1920x1080

Vocês já leram aqui no blog que sou louca por cães, não é? E também já ficaram sabendo que, além do meu primogênito Tunico, agora também tenho meu caçulinha Wisky! Eu já nem lembrava mais como é ter um filhote em casa, pois a experiência com o Nico foi tão intensa e tão nova  que ele cresceu e eu nem me toquei. Quando o Wisky chegou, passou um filme na minha cabeça! Pude reviver todas aquelas manias dos filhotinhos, tive que resgatar a paciência do fundo do coração e voltar a pesquisar mais sobre essa fase em que os cãozinhos precisam muito da gente, como qualquer criança.

Vejam agora algumas dicas gerais, com base nas minhas pesquisas e também na minha experiência, sobre como receber um filhotinho em casa com toda tranquilidade e amor que ele merece:

1.Filhote deve ser educado desde o primeiro dia em casa 

Definam previamente tudo que será ou não permitido ao cãozinho. Reúna todos os membros da família e conversem sobre o que vocês aceitam e o que não aceitam em relação ao mais novo integrante. Trassem os limites da casa, expectativas sobre o comportamento dele, mostrem para o cão quais são as regras se esforcem para que dê certo. Há quem diga que nos primeiros meses eles não conseguem nos entender, mas eu posso afirmar que entendem sim! Essa é a fase em que os cães tem mais facilidade e disponibilidade para aprender, pois tudo é novidade para eles. Li uma vez que o Alexandre Rossi, o Dr. Pet, disse que educar um cão depois dos 6 meses de idade [que é quando alguns especialistas recomendam que comece um treinamento mais funcional] é como começar a educar um pessoa a partir da adolescência.

dog-15-wide

2. Mostrem quem ele deve obedecer e já comecem a treinar os comandos básicos

O cãozinho tem que perceber que deve obedecer a todo mundo da casa. Não relaxem como eu relaxei com o Nico, não! Acabei deixando pra minha mãe a responsabilidade de impor os limites com ele porque, na época, era mais cômodo para mim, pois eu ficava com a parte boa de brincar e não me preocupava tanto com as broncas. Não deixe o papel de “mandão” apenas para uma pessoa da casa, pois ele precisa saber que deve respeito a todos.  Também é muito importante ensinar alguns comandos básicos, como o “senta!”, pois você começa a mostrar  que ele será recompensado pelo bom comportamento. No começo, é difícil, mas também muito divertido! ♥ Essas medidas também farão com que ele aprenda a respeitar o limite das outras pessoas, aceitando quando alguém o repreende ou simplesmente não quer um contato tão próximo com ele [não entendo gente assim, BUT, okay].

So-cute-puppies-14749028-1600-1200

3. Escolham um lugar da casa para ser o cantinho dele e deixe claro qual é o SEU limite

Se você não fizer isso, ele com certeza fará. Então, antes que o cachorrinho determine o catinho dele em algum lugar indesejado da casa, mostre para ele onde ficará sua caminha e seus brinquedos. Pode até ser que ele teime em puxá-la para outro lugar no começo, mas segure a gargalhada, reforce qual é o local correto e seja firme. Logo ele entenderá e se adaptará. Mas atenção: os cachorros costumam ficar mais tranquilos quando dormem no mesmo quarto que o casal ou junto com as crianças, pois faz parte do instinto de segurança da matilha. Porém, isso acaba fazendo com que eles fiquem mais apegados às pessoas e podem sofrer mais com a separação.

cute_dog_wallpaper_by_pinkloveeditions-d6ggq0m

Minha opinião particular: não é bacana deixar que o cachorro durma na cama com você. Além de invadir sua privacidade, ele vai se sentir tão importante quanto você e talvez não aceite muito bem as suas broncas. Cachorros que dormem na mesma cama que seus donos, quase sempre se tornam possessivos e agressivos. Portanto, dica importante: permita que seu cãozinho esteja por perto [sou super contra a deixá-los trancados e isolados em áreas de serviço ou quintal!], mas delimite uma certa distância para que um não invada o espaço do outro.

dog-wallpaper-desktop-126

4. Sejam parceiros e persistentes durante o treinamento para xixi e cocô no lugar certo

Não tem jeito, dá trabalho MESMO! Alguns animais são mais espertinhos que os outros e acabam sacando mais rápido onde é que eles devem deixar seus presentinhos. Outros são mais limpinhos (ou até sistemáticos, que limpam as patinhas no tapetinho depois, como o Nico ) e sempre procuram um local afastado da caminha e da comida. Deixem bem claro para eles qual deve ser esse local.

Eu indico os tapetinhos higiênicos que absorvem o xixi e não deixam o cheiro tão forte quanto os jornais (os maiores, tá? pra eles não errarem a mira), Pipi Dog e o Coco Trainer. Mas adianto que esses três recursos não farão milagre se você não ensinar o seu cão. A receita é simples: se você notou que o filhote está cheirando muito o chão e dando umas voltinhas, é que ele quer fazer xixi. Nesse momento, leve-o até o tapetinho, estimule-o a cheirar o pipi dog e fale com voz suave para ele fazer xixi aqui, como se o estivesse incentivando, sabe? É importante que ele já comece a associar a palavra xixi ao que ela realmente significa. Se ele acertar, faça carinho, dê uns grãozinhos de ração e comemore! Logo ele vai aprender que ganhará carinho do dono sempre que fizer com xixi naquele lugar. Depois de uns meses, isso se tornará hábito. Quando o cãozinho quer fazer cocô, é ainda mais evidente! Ele literalmente roda em torno de si mesmo, abaixando o bumbum. Se você for um dono atencioso, logo vai perceber, e daí, é só fazer o que falei acima.

O problema que a gente pode encontrar, porém, é quando cãozinho não acerta o lugar determinado, pois ainda não conseguem segurar [como os bebês que usam fraldas] e acabam fazendo quando bate a vontade. Tome cuidado com as broncas, pois ele pode achar que o fato de fazer as necessidades é que é o problema. Daí, eles começam a querer fazer em lugares escondidos, com medo que o dono brigue, ou até acontece um lance bem chato, que inclusive estamos enfrentando com Wisky 🙁 que é a coprofagia. Alguns filhotinhos acabam comendo seu próprio cocô por medo de deixar sujeira e o dono bravo dar bronca. Porém, há muitos fatores que levam o filhote a agir dessa forma e você pode saber mais sobre o assunto lá no Blog do Dr. Pet.

foto_blog_xixi

5. Fiquem atentos aos sinais do cãozinho e conversem sobre seu comportamento

Troquem informações sobre o comportamento do cão. Às vezes, o filhote se sente mais à vontade para agir de terminada forma na frente de um, ou ele testa mais a paciência de um do que de outro, e por aí vai. Entendam como é personalidade do cãozinho de vocês.

high_quality_puppy_wallpaper

6. Dividam as tarefas relacionadas ao babydog e leiam bastante sobre o assunto

Assim como todas as tarefas domésticas, a higiene, cuidado e alimentação do dog devem ser compartilhados pela família/casal. Assim, todos serão responsáveis pelo bem estar dele e, acreditem, o cãozinho saberá reconhecer. Pesquisem bastante sobre todos assuntos que envolvem o mundo canino e, como dito a cima, troquem figurinhas.

Baby-girl-friendship-with-dog-wallpaper

7. Encoraje-o sempre, mas repreenda sempre que necessário

Filhotes são medrosos, mas muito curiosos também. Você que tem ou já teve filhote deve saber que muitas vezes eles ficam naquela indecisão de “vou-ou-não-vou”, loucas para conhecer alguma novidade, mas muito receosos também. Estimule o seu cão a não ter medo das coisas, agindo naturalmente, por exemplo, quando começa a trovejar ou ao som de fogos de artifícios. Se ele sentir que o dono está tranquilo, então está tudo bem. Mas você o pega no colo e dá manha aos medos bobos dele, ele achará que aquilo realmente é algo que o ameaça a tal ponto, que o dono vai defendê-lo. Nesse ponto, falhamos com o Nico rs. Ele sempre foi muito desconfiado e até hoje tem medo de trovão. Por outro lado, não permita que os filhotes brinquem com fios, ou se acostumem a puxar toalhas da mesa ou varal, coisas desse tipo. Seja rígido com as broncas sempre que ele fizer algo que realmente pode colocá-lo em risco.

dog12

8. Não confundam brincadeiras de filhotes com mau criação

Filhotes tem muita energia e fazem de tudo para garantir a nossa atenção. O tempo que ele leva para conseguir entender tudo que nós gostamos ou não demora um pouco mesmo. Algumas vezes, a brincadeira do filhote pode te incomodar como, por exemplo, ficar puxando a barra das calças, roubar nossos sapatos, ou ficar mordendo a gente. Nessa fase, precisamos ter muita paciência e fazer duas coisas: tentar ignorá-lo, se você realmente não puder dar atenção naquele momento, ou canalizar a brincadeira para algo que seja agradável para você. Se ele insistir, tire a atenção dele com outros brinquedos e petiscos. Com o tempo, ele desiste e logo encontra novas distrações.

?????????

9. Apresentem tudo que o filhote deve conhecer até os 4 meses de idade

Não demore muito para apresentar ao seu cão todas as maravilhas e doideiras do mundo! Filhotes são sensíveis, é claro, mas se você sempre gostou de fazer faxina ouvindo som alto longe de mim não espere o cãozinho se tornar adulto para aumentar o volume do rádio. É obvio que você não pode prejudicar a saúde dele, mas ele precisa se adaptar o quanto antes ao ritmo da casa. Apresente pessoas, permita que ele receba visitas e goste disso, mostre barulhos diferentes e apresente outros animais [de outras espécies, de preferência]. Com exceção ao período de vacinação, em que eles devem se manter afastado de outros cães devido a imunidade baixa.

Cute-Couple-chihuahuas

11. Ensinem o filhote a ser independente

Última dica, mas não menos preciosa: incentive o seu cão a se divertir sozinho. O Wisky passa o dia todo só, enquanto trabalhamos, e quando chegamos em casa, ele quer muita atenção. É claro que a gente corresponde, mas já sentimos que ele dá umas escapadas pra brincar sozinho as vezes. Nessas horas, a gente não fica chamando ele não, até para evitar aqueles problemas de ansiedade de separação. É bom que o seu cão saiba brincar sozinho, que use seus brinquedos ou simplesmente decida tirar um rápido cochilo, longe da agitação dos humanos. Cães são extramente sociáveis e adoram participar de tudo que está rolando na família, mas deixe que ele tenha seu próprio tempo e sua própria rotina.

Dog-Wallpaper_pack3-1

Cuidados gerais:

  • Atente-se à carteirinha de vacinação do seu cão e tente leva-lo ao mesmo veterinário durante toda sua vida;
  • Peça orientação sobre as melhores rações e sobre o que pode ser integrado a alimentação dele ou não;
  • Não leve a qualquer Pet Shop! Pesquise sobre a reputação do pet no bairro e busque indicação. Sobretudo, observe o comportamento do seu cão quando chega do banho! Ele pode estar querendo te dizer muita coisa;
  • Banho 1 vez por semana. Tem gente que acha demais, tem que gente que acha de menos. Pra mim, funciona. Também limpo as patinhas quando chegam do passeio e a barbinha deles depois que comem e bebem água;
  • Cuidado com pulgas e carrapatos! Use o remédio recomendado pelo seu vet mensalmente e cheque todo dia se está tudo okay;
  • Escove cachorros de pêlo longo toda semana, tente acostumá-lo a escovar os dentinhos e chequem se as orelhinhas não estão exalando cheiro ruim;
  • É bacana acostumar o cão a passear do seu lado, sem coleira, apenas atendendo ao seu comando. Mas treine isso com cuidado e em lugares seguros. Cães podem se assustar ou se distrair com alguma coisa e fugir. Até que você se sinta seguro em relação a estabilidade do seu cão, utilize guias confortáveis e seguras;
  • Na dúvida, mesmo pesquisando na internet, consulte o veterinário.

Dicas:

  • Separe o local onde o cãozinho vai dormir e se alimentar do local onde você quer que ele faça suas necessidades;
  • Seja paciente com aquele chororô nos primeiros dias, pois o cachorrinho sentirá falta da mãe e da ninhada;
  • Seja paciente e perseverante em relação ao tempo de aprendizado e as escapolidas do xixi e do cocô;
  • Seja paciente em relação aos móveis destruídos, sapatos mordidos e outras baguncitas más;
  • Muito cuidados com alguns mitos que as pessoas dizem que funcionam com os cães e não dê nenhum tipo de remédio sem prescrição do vet.

Recomendo:

  • Doutora Satie, Vet dos nossos cãezinhos! Uma profissional excelente, super atenciosa e que trata os animais com carinho e muita dignidade. O consultório dela fica na Rua Catão, ali na Lapa, zona oeste de São Paulo. Contato: (011) 97969-1442
  • Blog do Dr. Pet Alexandre Rossi e o projeto Cão Cidadão: http://www.caocidadao.com.br/

Gostaram do Post?

Beijos 

You may also like

5 Comentários

  1. Olá, tudo bem? Eu tenho um cachorro que faz muita bagunça, hoje mesmo ele deu uma mordida no meu sofá e fez um estrago. Eu estou procurando o máximo de dicas pra fazer o meu cão ser mais educado, pois ele não tá nem ai com nada. É só eu sair um pouquinho de casa que ele faz a festa. Eu não brigo com ele, pois eu o amo, mas eu queria que ele fosse mais educado. Você pode me ajudar? Ou me dar uma dica? Obrigada

    1. Oi, Mariana! Eu não sou adestradora, mas posso falar como mãe experiente rs… Eu sempre dei bronca nos meus cachorros quando fazem coisas erradas. Se a gente não briga, ou não acha um jeito de fazê-los entender que aquilo não é certo, eles vão mesmo nos testar a aprontar. É importante que você ajude seu cão a gastar energia! Se ele fica em casa o dia todo sem fazer nada, vai aprontar mesmo. Tente passear com ele pelo menos 2x por dia, compre brinquedos divertidos que possam distraí-lo, como bolinhas e ossinhos, e sempre que pegá-lo fazendo algo de errado, repreenda! Amar também é EDUCAR… Não brigar com ele por dó só vai piorar a relação de vocês, e pode até ser perigoso. Ele pode destruir ou comer algo que pode machucar… Enfim, procure na internet sobre dicas para ajudar o seu cão a gastar energia e a liberar o estresse e a ansiedade dele. Você vai ver que há muitas opções! Boa sorte, bjs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *