HYGGE – conforto e aconchego no estilo de vida dinamarquês

hygge-estilo-de-vida-dinamarques

Oi, gente linda!

Em fevereiro deste ano tive a incrível oportunidade de conhecer Copenhagen, capital da Dinamarca, e apesar de ainda não ter conhecido muitos países, eu não consigo pensar em outro lugar no mundo que seja tão especial quanto aquele.

Nos três dias em que estivemos lá, eu observei muita coisa sobre a cultura do país, o comportamento das pessoas e o estilo de vida que eles levam. Como passamos pouco tempo na cidade, não pude refletir sobre isso tudo durante a viagem, e no primeiro momento, eu me só apaguei ao roteiro e aos lugares que tínhamos que conhecer.

Mas depois que eu fui embora, senti que trouxe um pedacinho da Dinamarca comigo! Eu não sabia muito bem como explicar, mas era algo com que eu havia me identificado logo de cara, algo em que sempre acreditei. E depois de pesquisar mais sobre a cultura do país, já pensando em retornar, eu consegui compreender…

Famosa por ser a terra dos Vikings, da Pequena Sereia, da famosa cerveja Carlsberg e da clássica história de Hamlet, a Dinamarca também é reconhecida por ser o povo mais feliz do mundo, onde o compromisso com a palavra, a confiança e o respeito realmente são levados a sério pelas pessoas.  

Castelo de Rosenborg Slot
Castelo de Rosenborg Slot

O segredo dessa felicidade toda provavelmente é resultado da combinação de uma política eficiente, uma cultura forte e virtuosa, e uma baita qualidade de vida. Além disso, também há uma certa filosofia que pauta o life style dinamarquês: o Hygge, que significa conforto e aconchego, em seu sentido literal, mas que acabou se transformando em um conceito que influencia quase tudo na vida deles.

Foi exatamente isso que eu senti e trouxe pra minha vida desde que voltei lá! <3

Sabe quando a gente acorda no domingo com o cheiro de café fresco no ar? Quando a gente deita na nossa cama, depois de trocar os lençóis? E quando a gente abre uma boa garrafa de vinho e passa horas conversando com alguém que a gente ama? Ou quando compramos um arranjo de flores novo para decorar a mesa do jantar?

Essa sensação de bem estar, de satisfação, e de prazer visual, emocional e sensorial é a proposta do estilo Hygge! E isso está presente na decoração das casas, nos ambientes de trabalho, no design e na maneira com que as pessoas se relacionam na Dinamarca. A ideia é fazer com que tudo seja acolhedor e que as pessoas sempre se sintam a vontade.

A perfeição e a ordem de uma casa não podem ser mais importantes do que o conforto, por exemplo. Muito menos o luxo ou valor pago em cada coisa. Aliás… ostentar bens materiais é algo considerado muito feio e desagradável pelo povo dinamarquês. Qualidade e simplicidade, apesar de muitas vezes serem interpretados com qualidades opostas, nessa cultura, tornam-se quase sinônimas uma da outra.

No dia-a-dia, os sofás e os colchões devem ser convidativos, e os ambientes, sempre perfumados. Deve haver flores, quadros, e velas para iluminar e aromatizar cada pedacinho da casa. Um bolo apetitoso na mesa, um café pronto para servir, talheres e xícaras sempre a postos. Tudo fácil, disponível, pronto pra receber bem e fazer sorrir.

Desde que me mudei pra cá, notei que o povo alemão – apesar de “menos amável” – também tem hábitos e valores parecidos, mas a palavra Hygge e todo seu significado são promessas de tendência no mundo todo este ano.

Eu me considero privilegiada por ter visto e vivido um pouco dessa experiência Hygge em seu país de origem, mas principalmente, por poder trazer um pouco dela pra minha vida, pra minha casa. Mas como seria bom se os brasileiros entendessem a importância do exercício desses valores básicos e primordiais, mas tão desacreditados e distantes do nosso Brasil

Cada vez que essas coisas acontecem aqui comigo, penso no quanto eu gostaria que mais brasileiros tivessem essas mesmas oportunidades que tenho. E é por isso que eu me proponho a escrever sempre sobre as minhas novas experiências…  Não só para levar informação, mas também pra dividir um pouco das coisas boas que vivo e aprendo.

É essa minha razão de estar aqui 🙂

Beijos!

19 de maio de 2017, fim de tarde em Berlin <3
19 de maio de 2017, fim de tarde em Berlin <3

Saiba mais sobre a Dinamarca:

Continue Reading

COMO GOSTAR DE ACADEMIA? 12 respostas para as nossas maiores desculpas

bg_running

Oi, gente! Tudo good?

Depois de um ano morando em Berlin e repensando tantas coisas sobre a minha vida, eu comecei a me questionar sobre meus hábitos alimentares, meu sedentarismo e sobretudo, as escolhas que fiz durante esse tempo.

“Onde eu vou chegar, se continuar com esses mesmos hábitos?”

Por isso no post de hoje eu vou compartilhar mais uma experiência, e contar como foi que eu comecei a gostar de academia. Eu já tentei outras vezes, mas sempre desistia por todos os motivos que listei aqui em baixo. Finalmente criei coragem, e estou frequentando a academia há dois meses.

A cada dia que passa, eu me sinto melhor e mais feliz por isso! A ideia é incentivar outras pessoas, trocar experiências e tentar, pelo menos um pouquinho, encorajar quem ainda está em dúvida ou nutre todas essas desculpas e barreiras dentro de si.

Vamos lá? 🙂

1.Eu odeio academia 

Se você já tentou treinar em outros momentos da vida, e tem certeza de que isso não é pra você, que tal pesquisar outras modalidades? Dança, natação, yoga, pilates, corrida, vôlei, artes marciais, etc.  O mais importante é buscar orientação profissional e não ficar parado.

2. Eu nem sei por onde começar

Interessar-se pelo assunto já é um bom começo! Pesquise em sites e blogs na internet, veja vídeos no Youtube, siga perfis fitness no Instagram e converse com amigos que já frequentam academia.

3. Na semana que vem eu vou… 

Vai hoje mesmo. Nada de adiar para a próxima segunda, fazendo promessas vazias que você sabe que não vai cumprir. Respira fundo, toma coragem, e se permita ao menos conhecer o lugar. Comigo foi assim e funcionou 🙂

4. Mas eu tenho muita preguiça…

Você pode substituir “preguiça” por força de vontade, determinação e vergonha na cara, por exemplo.

5. Eu tenho medo de passar vexame

Todo mundo faz muitas besteiras no começo, se atrapalha com os exercícios e não entende os aparelhos, mas tudo é uma questão de hábito e prática. Ignore as pessoas ao seu redor, ouça sua playlist preferida, e faça tudo com calma, no seu tempo. E não se esqueça que até o cara mais fortão da academia também já esteve exatamente onde você está hoje. Tenha certeza de que ao final da primeira semana, você vai ver que não foi tão difícil assim.

6. Não sei qual academia escolher

Além de analisar todo o custo benefício, e avaliar a estrutura, o preço, a qualidade dos profissionais e os diferenciais da academia, tente optar pelo estabelecimento que fique mais próximo da sua casa. Assim a distância, e as possíveis mudanças de emprego/faculdade, não serão mais uma desculpa um problema pra você.

7. Mas eu não tenho tempo:

Prioridades, já ouviu falar? Então. Tente encontrar alguma brecha entre seus horários, compromissos e deslocamentos. Depois disso, peça um treino adaptado para o tempo que você tem, e dê o seu melhor. Também vale repensar seu estilo de vida: talvez abrir mão de uma hora de sono por uma hora de atividade física pode lhe proporcionar ainda mais saúde e disposição

8. Tudo parece muito trabalhoso

Otimize seu tempo e aprenda a deixar tudo no esquema, para que você não se atrapalhe no dia-a-dia. Por exemplo: se você vai treinar de manhã, na noite anterior, já prepare um lanchinho pra você comer assim que acordar, e também já separe a roupa do treino, do trabalho, e tudo que você vai precisar pra tomar banho depois. Não deixe para pensar em tudo isso na hora de sair, pois isso pode lhe desmotivar.

9. Mas eu nem sei o que vestir…

Uma legging confortável, um bom tênis, um top e uma camiseta qualquer. Pronto! Isso já é o suficiente para você começar. Depois que você pega gosto pela coisa, vai adorar comprar roupas mais legais, confortáveis e funcionais para ir pra academia.

10. Não sei exatamente o que estou buscando…

Perder peso, secar, tonificar, fortalecer, ter mais resistência física, ser mais saudável… Qual é o seu objetivo? Pense naquele corpo dos sonhos que você gostaria de ter, no que gostaria de melhorar em sua vida, e no velhinho saudável e bem disposto que você quer ser no futuro. Essas serão suas principais referências!

11. Não estou vendo resultados

Às vezes a gente se esforça tanto, mas ainda se vê longe do que quer atingir, né? Mas nessas horas, tente não se apegar à balança ou ao visual, e valorize as pequenas conquistas: suas roupas ficando mais folgadas, mais disposição e energia, os treinos ficando cada vez mais fáceis de cumprir. Tudo isso faz parte do processo.

12. Sinto muitas dores após os treino

Acho que é essa é a pior parte, mas pelo menos, já posso garantir que seu corpo acostuma, depois das primeiras semanas. Como eu disse, é questão de hábito. Algo que tem funcionado muito para mim é “não ter medo dessas dores”. Não deixe o corpo contraído durante o dia, evitando movimentar-se pra não doer, sabe? Tente se movimentar da forma mais normal possível, mesmo sentindo dor. Logo começa a melhorar! Eu também gosto de fazer alguns alongamentos que aprendi na yoga, que ajudam a relaxar as dores musculares.

E aí, qual vai ser a sua desculpa?

Beijos

 

Continue Reading

ÓLEO DE COCO: PORQUE TODO MUNDO TÁ USANDO? – Bom pra saúde, fins estéticos e até cachorro pode comer! Testei o queridinho da vez e só vi vantagens

oleo-de-coco-combate-queda-de-cabelo-e1458700578433

Oi, gente linda!

Hoje eu vou falar sobre o ÓLEO DE COCO!

Há tempos que quero falar sobre ele aqui no Blog, mas esperei ter certeza dos resultados, e continuei pesquisando bastante a respeito para trazer mais dicas e conteúdo para vocês.

Eu fiz um compiladão de informações sobre os benefícios desse óleo, que vão desde seu consumo, para auxiliar nosso organismo e melhor nossa saúde, para fins dermatológicos, no tratamento e prevenção de problemas na pele, para fins estéticos, na hidratação da pele e dos cabelos, e até para complementar a alimentação dos nossos pets! 🙂

Eu separei em tópicos para facilitar a leitura! Bora lá? 🙂

  • BENEFÍCIOS PARA NOSSA SAÚDE

O óleo de coco melhora o funcionamento da tireóide, ajudando a reduzir o mau colesterol (LDL) e elevando o bom colesterol (HDL). Em consequência disso, ele faz com que o LDL produza hormônios anti envelhecimento, auxiliando na prevenção de doenças cardiovasculares, câncer, obesidade e várias outras doenças que surgem com o tempo.

Rico em vitamina E, parte desse produto é composta por ácidos que têm ações antioxidantes antibacteriana, antifúngica e antiviral. Ele também ajuda a fortalecer nosso sistema imunológico, nossa absorção de nutrientes e também normaliza as funções intestinais.

Ele também auxilia no emagrecimento, pois sua gordura é super saudável e não é armazenada no organismo como gordura corporal! Ela também pode ser uma grande aliada para enfrentar a diabetes, pois o seu consumo traz uma sensação de saciedade e ajuda a cortar a compulsão por doces e carboidratos. Ele também ajuda a normalização dos níveis de glicose e de insulina.

  • BENEFÍCIOS DERMATOLÓGICOS 

O óleo de coco possui substâncias bactericidas para pele e ajuda na cicatrização de feridas, ameniza irritação e alergia à picadas de insetos e alivia a ardência de queimaduras. Ele pode ser adicionado aos produtos pós sol para potencializar a ação refrescante e hidratante para a pele, e também é um ótimo pós barba e pós depilação.

Também pode ser usado pra compôr um outro produto com esse fim, ou simplesmente ser aplicado puro na pele irritada. Outras duas ações muito bacanas que eu estou testando aqui em casa, são para o tratamento prevenção de doenças como herpes e desidrose.

  • BENEFÍCIOS ESTÉTICOS

O óleo de coco, diferentemente dos outros óleos que a gente conhece, é absorvido rapidamente pela pele. A gente não fica grudando muito tempo, sabe? E por ser um super hidratante, ele ajuda a combater as rugas e linhas de expressão,  previne o surgimento de estrias – ótimo para as gravidinhas e pra quem está perdendo peso – e ameniza a aparência de estrias já existentes.

Ele é ótimo para acabar com aquelas malditas pelinhas que soltam da nossa boca, principalmente quando está frio, pois ele ajuda a regenerar os lábios ressecados, e pode ser aplicado diretamente. Essa aplicação direta também pode ser feitas nas unhas para hidratação de cutículas, melhorando a aparência das mãos.

Ele também é um ótimo demaquilante, apesar de que, particularmente, considero necessário finalizar a limpeza do rosto com água micelar. Aliás, ela é uma super aliada do óleo do côco! Os dois juntos fecham o rolê.

Já para os cabelos, ele pode ser usado como pré xampu, alguns minutos antes do banho, pois ajuda a reduzir a perda de proteína durante a lavagem, e/ou aplicado diretamente no couro cabeludo, para ajudar no processo de nutrição e crescimento.

Você também pode fazer a tal da umectação, que é a aplicação direta do óleo de coco nos fios, deixando o produto agir no cabelo de um dia para o outro. Além disso, você pode integrá-lo a sua máscara de hidratação capilar para potencializar sua ação e adicionar seus benefícios.

MEUS PRIMEIROS DOIS MESES USANDO ÓLEO DE COCO

img_20160912_110639

Eu conheci o óleo de coco quando estava no Brasil, em julho desse ano, vendo alguns vídeos no Youtube. Logo que voltei para Berlin, fui procurá-lo por aqui para testar. São muitas as vantagens que identifiquei, e super recomendo para todo mundo!

  • ALIMENTAÇÃO

Infelizmente, eu não gostei do sabor que o óleo transporta para alguns alimentos, quando experimentei grelhar algumas proteínas, por exemplo.

Como paladar é uma coisa bem pessoal, vale a pena você tentar experimentar e tirar suas próprias conclusões. Mas ele super combina com o sabor de outras frutas!

Quando já está bem madura, gosto de fritar a banana com óleo de coco, coloco um pouco de mel e canela e fina divino! Como quase que diariamente. Também fica gostoso fazer uma salada de frutas, de acordo com a sua preferência, e adicionar umas colheres do óleo. Já testei com pêra, maçã, amora e uva.

  • ALIMENTAÇÃO PARA PETS

Como eu já contei pra vocês aqui no blog, e divido quase sempre lá o Instagram do meu cachorrinho Wisky, ele se alimenta de comida natural e caseira, que eu mesma preparo. Eu sigo as orientações nutricionais do site Cachorro Verde, que recomenda o uso do óleo de coco como complemento alimentar!

A gordura dele favorece a proteção do organismo contra doenças infecciosas (virais e bacterianas), poupa o sistema digestivo, aumenta o desempenho atlético do cão e traz vários benefícios para a pele.

O Wisky adora! <3 Eu geralmente adiciono uma colherinha de óleo de coco em uma das refeições que ofereço para ele por dia, seja por cima da comida que já está pronta e servida no pote, ou mesmo durante o cozimento dos alimentos. Ele até pode ser congelado nas marmitinhas que eu deixo preparadas para ele.

  • PELE DO ROSTO

Eu uso a linha completa Time Wise da Mary Kay há quase um ano, que é formada por produtos anti sinais, próprios para a minha faixa etária. Ela requer alguns procedimentos diários, que agora, durante à noite, eu complemento com o óleo de coco e da água micelar.

Depois da esfoliação com o produto da MK, eu passo um pouco da água micelar, e não seco o rosto totalmente, pra deixar a pele bem fresquinha. Depois, eu pego quatro gotinhas do óleo – uma em cada bochecha, uma na testa e uma no queixo – e finalizo com as loções noturna e anti-idade da MK.

Cara… Eu vejo uma diferença incrível! Talvez outras pessoas que convivem comigo não consigam notar, mas o que importa é o nosso bem estar, né? Tenho sentido a minha pele cada vez mais firme, limpa e hidratada. Caso você não queira usar a mesma linha que eu, você pode tentar substituir por outros produtos mais acessíveis e fáceis de achar, como os da Neutrogena, da JnJ, NIVEA e Flores e Vegetais.

  • ESTRIAS

Também já dividi com vocês aqui no Blog em alguns posts que eu estou passando por uma fase de reeducação alimentar, e também passei a fazer exercícios físicos regularmente. Com isso, eu perdi alguns quilinhos e ganhei umas estrias novas. Usando o óleo de côco há umas 3 semanas, já senti que elas estão amenizando: no começo estavam bem roxas e evidentes, e agora estão mais rosadas, menos aparentes. TENHO FÉ que sumirão por completo.

  • PERNAS

Sempre tive as pernas muito secas e creme nenhum no universo conseguia melhorar o aspecto da minha pele a longo prazo. Pois bem, o óleo de coco conseguiu! Faço duas esfoliações com óleo de coco + açúcar por semana, e aplico-o diariamente, finalizando com um hidratante que gosto, sempre antes de dormir. Passo o dia seguinte inteirinho com as pernas hidratadas e com brilho bem sutil.

  • PÉS E UNHAS

Uso diariamente nas unhas das mãos e dos pés, e também uso para amolecer e hidratar a cutícula antes de fazê-las. Para potencializar a hidratação do calcanhar, que é mais ressecadinho, eu uso um pouco do óleo de coco + creme com ureia próprio para os pés. Esse creme da Avon também é ótimo para ser usado desse jeito. Uso sempre antes de dormir, e coloco uma meia para proteger.

  • CABELO

Eu não gosto de fazer umectação. Apesar do óleo de coco não ser tão grudento quanto os outros, eu não curto a sensação de cabelo pesado, mesmo que eu vá dormir. Até porque eu ficaria muito brava caso surgisse algum imprevisto, e eu não conseguisse lavar o cabelo assim que acordasse.

Pra mim funciona mais usá-lo como pré xampu uma vez por semana, e eu passo junto com o Óleo Extraordinário da Elseve. Eu também segui uma das dicas da louca do óleo, diva e sereia Yasmin Brunet (5:10 do vídeo) e fiz uma mistureba de restinhos de produtos que eu tinha casa… E  deu super, super certo:

Máscara hidratante Dove + Condicionador Reparação Total Gliss Kur da Schwarzkopf + Hidratantes pós tintura da L’oreal + Ampolinhas hidratantes também da Gliss Kur + Óleo da Extraordinário + nosso queridinho Óleo de Coco

UFA!

img_20160824_181434

  • Produtos que compro na Alemanha: 

Óleo de Côco (Kokosmuss) – 4,75€

https://www.dm.de/dmbio-kokosmus-p4010355180131.html

Água Micelar (Mizellen Reinigungswassers) – 3,85€

https://www.dm.de/garnier-hautklar-mizellenwasser-3in1-p3600541594838.html

  • Produtos para comprar no Brasil:

Óleo de Coco da COPRA 

http://www.copraalimenticia.com.br/produto/47/oleo-de-coco-extra-virgem

Loréal Água Micelar – Solução de Limpeza 5 em 1

http://www.loreal-paris.com.br/Products/Pele/Agua-Micelar/Agua/Agua-Micelar?shadeitem=132e51f1-5b62-4de4-81af-036ccb855499

  • Fontes: 

Cachorro Verde: http://www.cachorroverde.com.br/oleo-de-coco-excelente-para-pets-e-pessoas/

Cozinha Vibrante: http://cozinhavibrante.com.br/por-que-oleo-de-coco-faz-tao-bem-a-saude/

Saúde Dica: http://www.saudedica.com.br/os-10-beneficios-do-oleo-de-coco-virgem-para-saude/

 

Bom, meus amigos… Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras, não é? Então vou finalizar esse post com uma tirinha que uma amiga minha me mandou.

Beijos!

img-20160914-wa0000

 

Continue Reading

Praticando Yoga em casa – benefícios pra saúde e os primeiros resultados

f81cf721-0371-4f6f-81da-cd13e85ebcba.jpg2

Olá, gente querida!

Quem tem acompanhado meus últimos posts, tá sabendo que eu tô numa pega meio Pugliesi ultimamente. Tá bom.  MENTIRA. Eu tô bem longe de querer uma vida fitness, mas já tem quase um mês que eu decidi melhorar meus hábitos alimentares e praticar exercícios físicos diariamente.

Eu fiz três posts contando como foram as primeiras semanas desse novo projeto pessoal (Week 1, Week 2 e Week 3) que eu chamo carinhosamente de Por uma vida mais saudável. Eu quis compartilhar mais essa experiência aqui no Blog pra provar que é possível buscar o melhor para a saúde, basta ter determinação.

Também já comentei que, apesar de estar bem acima do meu peso ideal, emagrecer não é o meu principal objetivo. Eu acredito que isso será uma das consequências de todas as mudanças, mas que virá com o tempo, sem aquela pressão louca de ficar se pesando todos os dias.

E foi nessa pegada de saúde, bem estar e conscientização, que eu comecei a praticar Yoga em casa. Lá no Pinterest eu tenho alguns painéis que mostram dicas de alimentação, exercícios e cuidados com o corpo e a saúde, e numa dessas sugestões de Pins, comecei a ver imagens sobre Yoga. Depois, fui pesquisar em outros lugares e descobri um monte de coisa legal sobre essa modalidade.

O Yoga foi criada na Índia e tem bastante influência do budismo e do hinduísmo. A palavra Yoga quer dizer unir, integrar e totalizar. Essa atividade tem como objetivo principal despertar a sensação bem-estar, por meio da integração de técnicas de respiração, posturas, movimentos físicos e meditação.

Eu conheci o canal Yoga with Adrienne e me apaixonei pelas aulas dela! Além das posições mais clássicas do Yoga, que eu já havia visto lá no Pinterest, ela propõe alguns mantras e temas para cada prática. Apesar do conteúdo ser todo em inglês, é bem fácil de entender o que ela diz, além dela ser super simpática e divertida, contrariando toda imagem que eu tinha formada na cabeça sobre um instrutor de Yoga.

Dá uma olhadinha nessa aula, pra ver como é bacana o trabalho dela!

Eu estou seguindo as aulas do programa Yoga Camp e tô curtindo muito! Cada dia eu faço uma aula diferente, seguindo uma sequência montada pela Adrienne, que ajuda a gente a evoluir e avançar as posições. Sinto que algumas aulas são mais puxadas, forçam bastante nossos músculos e a nossa flexibilidade. Já outras são mais relaxantes e focam na respiração, na manutenção das posturas e no “esvaziamento” da mente.

Desde que eu comecei a seguir certinho, notei uma enorme evolução no meu corpo. Meu alongamento estava péssimo, e eu não conseguia, por exemplo, sequer passar completamente do joelho numa tentativa como o da foto abaixo, sem morrer de dor nas costas! Hoje eu já consigo tocar o chão com as pontas dos dedos sem sentir dor, e acho que daqui umas semanas, vou melhorar ainda mais.

PicsArt_06-16-11.39.29

Também sinto que já consigo “segurar” as posições por mais tempo, acompanhar o ritmo da respiração e mudar de postura na velocidade que ela propõe. Aliás, eu deveria já ter comentado que Yoga não é molesa não, viu? Eu já fiz Pilates por algum tempo, e acho que a intensidade dos exercícios é bem parecida. A única diferente gritante (sem falar dos exercícios nos aparelhos) é que o Yoga permite mais tempo de relaxamento e descanso durante a aula, o que dá uma sensação muito gostosa.

Além disso, estou me atentando mais a corrigir a postura durante o dia. De vez em quando, me pego toda largada, ou sobrecarregando a lombar por conta da lordose, e aí lembro das técnicas do Yoga pra corrigir na hora. Também me sinto mais bem disposta e com vontade de me alongar em outros momentos só pra relaxar.

Ooooutra coisa bacana do Yoga (gente, virei muito fã) é que eu faço essa aula antes das aulas de Ginástica, e isso acaba servindo com um super aquecimento/alongamento pra atividade seguinte.

Por sorte eu tenho um companheiro que também tá adorando esse lance de Yoga! Todo dia, quando ele me vê pegar o tapetinho pra começar, é uma festa só! Quase sempre ele acha que é brincadeira, começa a morder a minha mão, meu cabelo, e fica se encaixando em todo canto do meu corpo. Eu tenho que segurar a risada para ele ver que eu tô séria, e me deixar continuar, mas nem sempre eu consigo.

Yoga requer bastante concentração e silêncio, mas dar um pouquinho de atenção e carinho pro meu pequeno Wisky me faz tão bem quanto qualquer exercício!

8015dfbc-27d1-4ab4-9371-d1d89ef112fd

 

É isso aí!

Namastê.

 

 

Continue Reading

Por uma vida mais saudável #Week3 – A importância e a dificuldade de ser determinado

a8fa9e18-f34a-47d5-9824-854d326dd64a

A terceira semana #PorUmaVidaMaisSaudável foi marcada pelas minhas primeiras provas de fogo. É obvio que eu acabei vacilando com a alimentação por que né… Essa sou eu.

Nós recebemos aqui em nossa casa um casal de amigos brasileiros que estava fazendo um mochilão pela Europa. Aliás, pra quem não sabe, eu moro em Berlin! E aqui foi a última parada deles, rumo ao Brasil.

Apesar deles terem ficado pouco tempo, e de não terem afetado em nada a nossa rotina, eu acabei vacilando com a alimentação. Quando eles chegaram, eu já havia jantado, mas acabei comendo uns pedacinhos de pizza com eles para acompanhar. E no dia seguinte, nós os levamos para jantar no Burguer Vision, que é minha hamburgueria preferida aqui de Berlin.

Eu venho comentando com vocês que meu principal objetivo não é perder peso, mas sim, mudar de estilo de vida, buscando hábitos mais saudáveis. Perder peso é algo super necessário, pois eu estou bem acima do que deveria pesar, mas não quero que isso vire uma neura. Quero que seja só mais um dos resultados que devo atingir.

As pisadas na jaca não pararam por aí. No sábado, nós fizemos churrasco e bolo de cenoura, e ontem, jantamos no KFC. É obvio que eu não vou passar nem perto da balança nos próximos dias! Rs

Mas o que acabou me deixando feliz é que eu não deixei de fazer exercícios nessa terceira semana! Consegui me organizar direitinho, e até criei uma planilha com todas as vídeo aulas de Yoga e Ginástica que vou fazer até o final de junho.

Eu acabava perdendo muito tempo todo dia nessa pesquisa. E agora, eu montei uma espécie de treino. Eu não sou personal, e ainda não tenho esse tipo de acompanhamento, mas o meu raciocínio foi: às segundas-feiras trabalhar abdômen, às terças pernas e glúteos, às quartas pegar mais firma no aeróbico, às quintas trabalhar os braços, e por fim, às sextas feiras, pernas e glúteos de novo.

Sobre a Yoga, e estou seguindo a sequência do programa Yoga Camp da Adriene. É bacana porque as aulas vão evoluindo, e cada dia trabalhamos um mantra diferente. Eu faço a yoga antes da ginástica, porque acaba servindo como um alongamento e aquecimento.

Não canso de repetir o quanto estou apaixonada por yoga, e o quanto é gratificante sentir a minha evolução em cada aula! Meu alongamento melhorou muito… Eu nem consigo acreditar! E apesar de ficar bem cansada depois das aulas de ginástica, confesso que a sensação de dever cumprido é muito boa!

Eu finalmente estou sentindo aquele sedentarismo ir embora. Estou mais disposta para fazer as coisas, e não consigo me imaginar sem fazer nenhuma atividade física. Ontem, domingão, meu marido foi pra academia, e eu peguei uma aula intensiva de yoga, sem ser do programa que faço na semana. Foi muito bom!

Registrei toda minha alimentação da semana e os exercícios que eu fiz e coloquei nesse post pra vocês! Espero inspirar ou incentivar mais e mais pessoas a buscarem uma vida mais saudável também.

SEGUNDA-FEIRA

PicsArt_06-06-09.20.01

Yoga Camp Day 6 – I Am Supported (Six Pack Abs)

+

Barriga Sarada Já! Aula de AeroHiit para os Abdominais #1

TERÇA-FEIRA

PicsArt_06-08-11.47.08

Yoga Camp Day 7 – I Am Capable

+

Treino Completo para Pernas e Bumbum #2 – Aula de Ginástica Localizada #4

QUARTA-FEIRA

PicsArt_06-09-05.37.15

Yoga Camp Day 8 – I Choose

+

Treino para Emagrecer – Aula de Aerohiit #12

QUINTA-FEIRA

PicsArt_06-09-11.43.29

Yoga Camp Day 9 – I Am Bold

SEXTA-FEIRA

PicsArt_06-11-01.41.41

Yoga Camp Day 10 – I Am Present

+

Aula de Ginástica Aeróbica #10 – Pernas e Barriga Definidos!

Obs: Essa coisinha redonda que comi na quinta e na sexta é uma panqueca de banana! É uma opção super gostosa e prática. Só bater 1 banana + 2 ovos + um pouco de canela e mel. Depois, é só jogar numa frigideira anti aderente em fogo baixo. Demora mais menos uns 15minutinhos pra ficar pronta, por conta da temperatura do fogo.

É isso, galera!

Rumo à 4ª semana agora!

beijos

Continue Reading

Por uma vida mais saudável #Week2 – Alcançando os primeiros resultados

PicsArt_06-03-01.28.46

Hoje completo 2 semanas de mudança de estilo de vida. Na verdade, são quase três, mas na “primeira” teve feriado aqui em Berlin, eu não levei tão a sério e ainda estava meio perdida no que faria para melhorar.

Eu sempre tive um pavor gigante de balança. Desde o começo dessa minha dieta reeducação alimentar, tenho evitado conferir meu peso. Eu me pesei no começo do mês de maio, quando tomei um baita susto com os 87kg, e soube que, considerando a minha altura, eu já estou na categoria Obesidade Nível 1. Foi quando resolvi mudar e começar tudo isso.

Já contei aqui no Blog como foi a #Week1 e todo processo de conscientização sobre meu peso, minha saúde e meu futuro. Também contei que nesse comecinho eu perdi 1kg, mas depois daquele dia, não quis mais saber. Eu pretendia esperar mais algum tempo, até começar a notar as diferenças no corpo, antes de ter esse resultado numérico. 

Tudo isso porque eu sou de humanas e odeio números. Eles me assustam. Prefiro MIL vezes notar as calças mais folgadinhas do que ver aquele funking número na balança. E ontem, quando coloquei meu jeans 46 para dar uma volta com as umas amigas, eu notei uma ligeira diferença! Daí fiquei pensando que, talvez, se eu continuar indo bem assim, logo logo eu pule pro 44 (a meta real é voltar pro 42 que tanto gosto).

Agora a pouco, enquanto eu separava as fotos para colocar aqui junto com o texto, me deu um momento de coragem. Eu pensei o quanto seria legal mostrar algum resultado pra quem me acompanha. Talvez isso possa dar ainda mais incentivo para quem está nesse barco que eu estou, não é?

Também lembrei das aulas de marketing da faculdade, onde a professora dizia que não importa o quanto a proposta de uma campanha surpreenda e encante o cliente. Ele quer mesmo é ver a conversão de tudo isso em número positivos.

Foi isso que eu fiz. Infelizmente, minha balança está muito louca, marcando números diferentes. Mas são números tão amigáveis pra este momento que eu não me importei. Meu peso registrado nela oscila entre 82kg e 81.3kg! É claro que eu peguei o peso mais baixo pra ilustrar o post… Hahahaha só para ficar mais feliz #soudessas

Nessas duas semanas já se foram basicamente 5kg! 

Apesar de já ter falado aqui que a minha ideia não é começar uma luta contra a balança, faz bem saber que todo esforço está valendo a pena!

OKAY… Nem tanto esforço assim, eu confesso. Na verdade, eu estou gostando e curtindo tanto, que não encaro nada disso como “esforço”. É como se eu finalmente entendesse que isso é o mínimo que eu posso fazer por mim mesma e pelo meu bem estar, sabe?

A única coisa que eu sinto muita falta é de comer chocolate 🙁 a última vez que comi foi no sábado passado, e ainda dividi com meu marido. Tem sido assim: um dia do final de semana, eu me permito curtir um refeição mais junk. Mas no restante dos dias… Foco total.

ROTINA ALIMENTAR

Como já comentei, eu não fui a nenhum nutricionista (recomendo que você vá). Fiz umas mudanças que todo mundo sabe que são bacanas, pesquisei bastante e fui substituindo.

Eu não como a cada 3 horas, como alguns recomendam, porque simplesmente não consigo. Eu sinto fome nuns horários meio malucos, até porque, minha vida é muito mais flexível nessa pegada House Wife que estou vivendo aqui em Berlin.

Faço as três refeições principais do dia, e à noite, se bate uma fominha, tomo um iogurte ou como umas frutas. Geralmente eu tomo café da manhã às 10h, almoço às 15h e janto às 20h. Acabo de perceber que eu como a cada 5h rs.

Sobre as frutas, vocês vão perceber que eu não tô variando muito 🙁 Isso porque eu nunca fui muito chegada nelas, e aqui em Berlin tá meio complicado encontrar frutas gostosas. Eu amo pêra e maçã, por exemplo, mas a textura e o sabor delas aqui é muito ruim. Eu também adoro mamão, mas não encontro por aqui. Acabo ficando na banana, morango e uva mesmo. Mas na próxima semana, vou tentar mudar um pouco.

Estou bebendo 1,5l de água por dia com muito custo. Não sinto tanta sede assim, mesmo com o calor que tem feito aqui nos últimos dias. Mas quanto mais você vai pegando o hábito, mais seu corpo começa a pedir e associar os momentos que, antes, eu consumia alguma porcaria, à ingestão de água. Sei que o recomendado são 2l mas calma lá, vamos devagar, né?

  • CAFÉ DA MANHÃ

Tomo uma boa quantidade de água, assim que acordo. Depois disso, eu costumo comer as opções abaixo: pãozinho integral, cream cheese light e ovinho mexido.

DICA: Tem também a panqueca de banana que mal descobri e já considero pacas! (tks, Mariana!) Bato no liquidificador 1 banana e 2 ovos, com um pouquinho de canela e mel. Deixo uma frigideira anti aderente aquecer em fogo baixo, com um fiozinho de azeite.

Demora um pouquinho pra ficar pronta, por conta da temperatura do fogo, mas o resultado fica uma delícia! Ela sacia muito bem a fome e dá bastante disposição pra fazer exercícios.  Ah, e sempre tomo um cafézinho preto pra começar o dia! <3

0eaed533-a0ad-413c-957c-7b3d20d792d6

  • ALMOÇO

Sempre combino uma salada de verduras e/ou legumes com alguma proteína (carne, frango ou ovo). Quero começar a comer mais peixe também a partir da próxima semana.

DICA: Pra deixar a salada mais atrativa, eu tempero com um pouquinho (mesmo) de azeite, orégano e uns temperinhos com pimenta, que eu adoro. Comprei umas opções de queijinho branco também, que deixam a salada bem gostosa.

PicsArt_06-03-01.10.35

  • JANTAR

Eu quase sempre como algo parecido com o almoço, mas em menor quantidade. Ou eu acabo substituindo por um lanche acompanhado de uma vitamina, frutas ou um iogurte com granola. Preciso procurar farinha de aveia por aqui!

DICA: 1 fatia de pão integral com cream cheese, tomatinhos cortados e temperados com orégano e um pouco de pimenta calabresa. MARA!

PicsArt_06-03-01.12.17

O QUE MELHOROU COM  A MUDANÇA DA ALIMENTAÇÃO?

  • Sinto minha pele menos oleosa
  • Não me sinto “pesada” depois das refeições
  • Me sinto mais disposta
  • O intestino está mais regrado

ATIVIDADES FÍSICAS

Só mudar a alimentação não faz milagre, né? Sei que nosso corpo responde muito bem à qualidade dos alimentos que ingerimos, mas é preciso queimar toda essa gostosura que está acumulada aqui rs. Eu ainda não me matriculei em uma academia, pois estamos nos planejando pra uma temporada no Brasil, e acabaria quebrando meu ritmo $$$.

Mas estou me exercitando em casa mesmo e adorando os resultados! Além das caminhas de mais ou menos 30min que faço com o meu cachorro (a partir da próxima semana, quero fazer 2x por dia), eu estou fazendo exercícios aeróbicos e localizados, e praticando Yoga que é minha mais nova paixão!

Eu intercalo 3 dias de exercícios aeróbicos com 2 dias de yoga. Ela ajuda a trabalhar e a “curar” os músculos que ficam bem doloridos do dia anterior.

PicsArt_06-03-01.26.40

EXERCÍCIOS PRATICADOS NA #Week2

2ª feira: AULA DE LOCALIZADA #bumbumdurinho30dias – Até 400 kcal

3ª feira: Yoga Camp Day 4 – I Awaken

4ª feira: Aula de Hiit com Música – Essa Queima Muita Gordura – até 300 kcal #22

5ª feira: Yoga Camp Day 5 – I Am Alive

6ª feira: Exercícios para Perder Barriga – Aula de AeroHiit #8

O QUE MUDOU COM A ROTINA DE ATIVIDADES FÍSICAS?

  • Cada dia sinto mais disposição para ir até o final das aulas
  • Meu alongamento e minha flexibilidade melhoraram MUITO com a Yoga <3
  • Eu me sinto bem com a rotina e não quero fugir dos exercícios mais

É isso, galera!

Rumo a 3ª semana!

Beijos

Continue Reading

Por uma vida mais saudável #Week1 – As primeiras mudanças

e0a1ded7-4796-4993-8cee-03976df1b4d1

Não sei se foi o despertar para os 25 anos que completei no mês passado, ou se foi uma resposta bem sincera do marido quando perguntei sobre meu peso, ou se eu simplesmente comecei a me olhar de uma forma mais crítica e honesta. Só sei que hoje eu completo a minha primeira semana rumo a uma vida mais saudável.

Já cheguei a comentar com vocês em outro post sobre esse meu lance com peso. Nos últimos 5 anos eu engordei mais de 30kg. Tenho 1,67cm de altura e acredito que meu peso ideal fique ali por volta dos 60kg. Quando lembro dos períodos em que mais me senti feliz com meu corpo, eu estava com 62kg. Já fui mais magra que isso lá pelos meus 18 anos, e cheguei aos 55kg. Acho muito pouco pro meu biotipo, e quando vejo minhas fotos dessa época, não me acho tão bonita não.

A merda é que eu já passei dos 80kg, e mesmo sabendo disso há pelo menos um ano, até a semana passada, eu não me importava tanto. Sempre lutei contra essa neura que a mulherada tem pela magreza, e ficava pensando que a gente tem muito mais a oferecer do que um corpo bonito. Eu piro nessas modelos Plus Size e sempre me perguntei porque é que eu não conseguia, mesmo assim gordinha, ficar tão linda e estilosa quanto elas.

Eu desandei nos últimos três anos e sei exatamente onde tudo começou.

Na época da faculdade (dos 18 aos 21) eu levava marmita pro estágio porque deixava o VR pra comer à noite, no intervalo. E também era bom porque eu conseguia comer rapidinho na cozinha da agência, e dava para aproveitar o resto do tempo para fazer algum trabalho ou estudar para as provas.

Todo dia eu levava uma marmitinha pequena, feita pela minha mãe com todo aquele amor e tempero que é só dela (saudade da sua comida, Mãe!). Todos os dias eu consumia a mesma quantidade de alimento. Lembro que o pessoal zoava que ela era muito pequena, mas tupperware é um negócio que engana, cara. Quando eu a despejava no prato no dia que eu não tava com preguiça de lavar o prato também, era a quantidade ideal para uma refeição.

Na faculdade, eu geralmente não conseguia comer direito. Ou porque chegava em cima da hora da aula, ou porque geralmente tinha que passar na xerox, na biblioteca ou no laboratório. E durante o intervalo mesmo, a cantina estava sempre lotada e não dava tempo de comprar nada. Acabou que, com o tempo, o VR servia para comer fora aos fins de semana.

Depois que me forme e comecei a namorar o meu marido (nós nos conhecemos na agência em que trabalhávamos), a gente começou a comer fora com cada vez mais frequência. Nós queríamos passear, desencanar um pouco do trabalho, curtir nosso almoço juntos.

O problema é que nós dois adoram massa, hambúrguer e chocolate. Ou seja: no primeiro ano de namoro, vieram os primeiros +10kg. No ano do noivado e do planejamento do casamento, com todo estresse que vocês já devem ter passado, ou ao menos imaginam, ganhei os outros +10kg. E já nos primeiros anos de casados, com a vida mais corrida e estressante do que nunca, chutei o balde.

Hoje consigo ver que o estilo de vida que a gente leva influencia muito nas escolhas que fazemos na hora da alimentação. Aos 18, morando na casa dos pais e comendo a comidinha saudável feita pela mãe… Era muito fácil ser magra. Depois que eu comecei a unir o meu estresse com as responsabilidades da vida adulta + a falta de tempo para preparar os alimentos no dia-a-dia + nosso paladar infantil = Deu no que deu.

Comecei a perceber que a necessidade de perder peso não é só por uma questão estética. Tem muito mais a ver com a saúde e com o que você quer pro seu futuro, sabe? Comecei a ter dores nas costas, nos joelhos, e uma fadiga imensa ao subir qualquer lance de escada. Em 2013 me deparei com uma maldita escoliose que evoluiu pra caramba em dois anos, a ponto de me deixar travada na cama, sem conseguir levantar.

Tudo isso por conta do meu sobrepeso. E velho… Eu tenho só 25 anos.

Há alguns dias eu assisti um vídeo de uma senhora que fazia Yoga e Pilates desde novinha, e tinha uma alimentação super natural. Ela é o tipo de velhinha que todo mundo quer ser! Cheia de saúde, alegria e lucidez. E foi aí que eu me toquei que, se eu continuasse levando a vida daquele jeito, eu jamais seria como ela. Provavelmente seria uma idosa como tantas outras que vemos, sem a menor qualidade de vida.

É hora de acordar.

Tô longe de querer uma barriga à La Pugliesi ou de virar a mais nova Bela Gil. Eu só quero começar a me cuidar pros meus próximos anos, pro meu futuro. Quero começar a cuidar da velhinha que quero ser. Talvez esteja meio cedo pra pensar nisso mas… Ainda acho que é melhor assim.

Comecei uma dieta bem bacana por conta própria. Vejo muitas ideias no Pinterest todo dia e acabei bolando meu próprio cardápio. Mas eu recomendo que você vá a um nutricionista! Eu ainda quero fazer isso. Só achei que não preciso esperar uma consulta para começar a mudar o que eu sei está errado, né?

Pela manhã, como uma porção de frutas + uma fatia de pão integral com cream cheese light OU um ovinho mexido, que eu tempero com um pouco de orégano e pimenta calabresa. Daí tomo um cafézinho com um dedo de leite desnatado. Substituo o açúcar por mel, fica muito bom!

b7be80cd-246f-4821-a682-8dfb31f56210 (1)

Não estou comendo chocolate e nem bebendo refrigerante, que são os meus dois maiores vícios. No almoço, eu como uma porção de legumes e/ou verduras e uma porção de proteína (carne ou frango). À tarde, se bate uma fominha, como mais uma fruta. E na hora do jantar, geralmente é algo parecido com alguma das duas refeições anteriores.

41b56439-a8cc-4061-b31a-768262b05a55

 

Também estou bebendo muito mais água! Deixo uma garrafa sempre a vista, e isso ajuda muito a cortar aquela compulsão por comida. E é claro que é saudável bla bla bla etc etc etc todo mundo sabe disso.

Ah, eu também tô fazendo uns exercícios em casa! Na semana passada, fiz 5 dias de aulas completas de Yoga (faço as vídeo aulas desse canal aqui) e 30 minutinhos de caminhada com o Wisky todos os dias. Hoje comecei a #week2 e fiz uns exercícios aeróbicos, 30min de Yoga e a caminhada com ele.

Tenho que confessar que jaquei no almoço de sábado com meu marido. A gente comeu no KFC e foi a MELHOR SENSAÇÃO EVER! Mas no jantar, e no domingo, mantive tudo certinho. Nos primeiros dois dias senti muita a falta do doce que eu consumia diariamente. Mas depois, por conta das frutas e da água, acabou não fazendo mais tanta diferença.

A minha ideia é aumentar o tempo e a intensidade dessas caminhadas, e continuar aperfeiçoando meus desempenho na yoga… que é BEM difícil viu, gente. Não é a moleza que eu pensava que era não. Também espero pegar um pouco mais ritmo e quem sabe… me matricular em uma academia para ter uma orientação profissional. Eu odeio academia… Mas é preciso encarar isso com outros olhos, né?

8a4f95f9-a8b7-435a-a05a-c7612d36354e

Apesar desse não ser meu grande foco, eu já perdi 1kg! hahahaha Eu sei que é muito pouco perto do que eu devo eliminar… Mas para uma primeira semana, já é alguma coisa. Eu fiquei feliz, não por perder esse quilinho, mas pela minha determinação e disciplina. Eu nunca tive isso. Tô curtindo esse reencontro comigo mesma.

Há uma semana eu comecei a me admirar de um jeito que nunca tinha acontecido. Isso já vale muito!

Beijos

Continue Reading

É possível cuidar de você mesmo durante períodos de tensão?

651370-Morar-sozinho-em-seus-benefíos-e-malefícios.-Foto-divulgação

Já deve estar ficando cansativo pra você, meu caro amigo, ter que se deparar com a mesma introdução todas as vezes que visita meu blog, não é mesmo? Acho que os últimos posts estão sempre começando com a minha redenção diante dos fatos: nunca estive tão ansiosa em toda minha vida.

Desde que larguei meu emprego para me dedicar única e exclusivamente à mudança para Berlin, que eu fico me perguntando se isso foi mesmo uma boa decisão. Hoje já começo a questionar se o trabalho na agência distrairia mais a minha cabeça, e me tiraria um pouco o foco das coisas relacionadas à viagem. Por outro lado, o motivo que me levou a me desligar com certa antecedência é incontestável. Acho que eu não estaria inteira no trabalho, com tantas outras coisas “mais importantes” pra resolver. Provavelmente, isso prejudicaria minha produtividade e meus resultados, e isso certamente não faz o meu tipo.

Aí é que chega um dos pontos do post de hoje. Naturalmente sou uma pessoa muito comprometida com as coisas. Sempre que assumo uma responsabilidade, eu faço de tudo pra que as coisas saem perfeitas. Essa característica me garante um puta desempenho profissional, mas prejudica muito o lado pessoal e emocional.

Na última semana, além dos problemas que tive em relação ao Alvin, tive problema com a reserva do Wisky no vôo que foi comprado pra gente. A própria companhia área não registrou a reserva dele, mesmo com o pedido sendo feito no ato da compra da passagem. Mesmo sabendo que ainda temos tempo de correr atrás, e tentando repetir pra mim mesma que tudo vai dar certo, comecei a ter sérias crises de ansiedade.

Sim, você vai dizer que sou exagerada, assim como todos os que estão a minha volta disseram desde o início. Eu mesma sei disso, sei que devo me controlar, mas eu sentia fortes dores no feito, uma sensação de sufoco. Era físico, não era racional. E então eu tive aquele insight que as pessoas têm quando caem na real “se eu não cuidar de mim, quem é que vai cuidar?”.

Chega um ponto da nossa vida em que a gente percebe que precisa se olhar com mais carinho, com mais atenção. As pessoas ao redor criticam com facilidade, dão lá seus pitacos e dicas de como driblar algumas coisas, mas só você mesmo é capaz de sacar qual é o seu limite. Comecei a pesquisar sobre esse tipo de sintoma, e vi que pode se tornar uma coisa muito séria, se você não se cuida. A longo prazo, isso pode virar síndrome do pânico, distúrbio bipolar, ou até mesmo uma forte depressão.

Aí você vai me dizer que estou sendo exagerada de novo, e que estou potencializando uma coisa bem pontual. Pode até ser que você esteja certo… Mas o melhor que posso fazer por mim e pelas pessoas que se importam comigo é me cuidar e me prevenir.

Sobre as dores do peito que senti, involuntariamente, por cinco dias, não sinto há três. Voltei a tomar um calmante que foi receitado pela minha terapeuta há alguns meses. Para resolver a insônia, voltei a organizar meus horários de dormir. Eu acabava indo me deitar muit tarde, vendo séries ou pesquisando coisas na internet. Agora, tento me desligar pelo menos uma hora antes de ir pra cama, e fico lendo um livro bem light até a hora de dormir mesmo. Parei de tomar café à noite e deixo o celular longe de mim rs. Ontem foi a primeira noite em que peguei no sono rápido depois de duas semanas de insônia.

Hoje fui ao consultório de uma grande amiga minha, que é fisioterapeuta e me deu aula de pilates (eterna saudade <3) por quase um ano. Fiz uma sessão de shiatsu para estimular os 200 mil pontos de tensão espalhados pelo corpo, e coloquei uns pontinhos de acupuntura na orelha pra dar uma aliviada na tensão.

Porque desde o início, eu não incluí nos meus planos, não só dar conta das responsabilidades da viagem, mas sim, também tirar um tempo pra mim? Nessa correria que a gente leva, quase sempre estamos anulando a nossa saúde e nosso bem estar porque damos prioridade demais a outras coisas.

Prometi também melhorar a alimentação e fazer mais caminhadas, além de estar perto das pessoas que tanto sentirei falta quando estiver em Berlin! E é claro, continuar a minha cãoterapia diária com os meus dois anjos da guarda! <3

535efdf6-83a4-482a-97a9-4493ccd0af61

Beijos

Continue Reading